sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Hoje tive o primeiro teste na universidade, de IEGI.
Não me correu propriamente bem. Não porque não tivesse estudado, mas o teste não era nada do que eu estava à espera, isto porque não tivemos acesso a um único modelo de teste. E a professora apenas nos deu exemplos de um tipo de exercícios.
Não fiquei especialmente triste ou revoltada, porque sei que estou num meio novo e nem tudo vai correr bem à primeira, por mais que fosse essa a minha vontade.
Estou em fase de habituação e a começar a perceber por experiência própria que temos de ser autónomos no trabalho a desempenhar para chegar a bom porto, que é o mesmo que dizer: "para tirar boa nota".

domingo, 14 de outubro de 2012

Às vezes tenho a sensação que entrei em modo automático.
Que faço as coisas porque sei que tenho de as fazer assim, sem tempo para pensar, sem tempo para me sentar no sofá, sem tempo para ver séries e até sem tempo para dar umas boas gargalhadas à conta da Casa dos Segredos. Percebo isto quando na praxe me mandam cantar uma música que supostamente deu na Casa dos Segredos, e que eu nunca tinha ouvido. 
A verdade é que não tenho tido tempo para nada, é tudo a mil à hora! Tenho aulas de manhã, praxe à tarde, chego a casa e é pouco mais que jantar e dormir.
Vejo os testes a aproximarem-se e começo a ficar preocupada, começo a ter medo de ficar para trás ou perdida. Mas não quero abdicar de nada, e quero levar comigo, pela vida fora, as melhores recordações destes dias, que são os primeiros dias de uma nova fase que, espero, me leve a bom porto e que através dela me faça sentir realizada num futuro que vai-se a ver e não está assim tão longe.

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Com 19 anos ainda não aprendi uma coisa a que se chama: relativizar.
Às vezes faço um grande filme por uma coisa que não vale nada. Sinto-me a pessoa mais culpada do mundo por uma coisa que não tem assim tanto significado.
Bem, acho que ainda nem um mês de universidade já passou e já se passou tanta coisa.
Na quarta saí da praxe, a chorar. O peso na consciência é terrível e eu odeio que alguém seja prejudicado por mim. Foi por isto que saí.
No entanto, talvez volte.

Entretanto, a necessidade de estudar voltou, já tive de fazer uma apresentação e agora que já tenho imensa matéria nos cadernos tenho de estudar. Escusado será dizer que a vontade é igual a 0.
Especialmente num dia como o de hoje, cinzento e triste, em que o meu humor está em baixo, que a manhã não foi grande coisa. Que tenho um pedido de desculpas para fazer.
Hoje não é de todo um bom dia.
Mas amanhã será melhor!
Agora se calhar o melhor mesmo é pegar em marcadores coloridos e começar a estudar...